Depois das Marginais, prefeitura quer padronizar velocidade em toda a cidade

A meta é que, até o fim de 2015, São Paulo ande a 50 km/h.

Por: Kamila Ferreira

O prefeito Fernando Haddad anunciou no último dia 20 de julho a redução do limite de velocidade nas marginais Pinheiros e Tietê. A prefeitura afirma que a medida visa reduzir os acidentes de trânsito.

As alterações são de 70 km/h na expressa e 50 km/h na pista local. A marginal Tietê ainda possui uma pista central, cujo limite foi alterado para 60 km/h. Ônibus e caminhões podem andar até 60 km/h nas expressas.

Após a implantação nas marginais, a prefeitura determinou a padronização em todas as ruas e avenidas de São Paulo. Ainda segundo a administração municipal, até dezembro deste ano, todas as principais vias da cidade andarão a 50 km/h.

As mudanças já foram implantadas em diversos pontos da cidade, como a Avenida Angélica, na região central, Rua Henrique Schaumann, na zona oeste e Avenida Brás Leme, na zona norte. A polêmica gira em torno da sinalização. Entre os dias 8 e 11 de agosto, a alteração já estava em vigor tanto na Avenida Brás Leme como na Rua Sena Madureira, na zona sul. Porém, não havia faixas nem placas indicando a alteração nessas duas vias.

braz leme
Avenida Braz Leme com faixa avisando da mudança, que começou a valer no dia 15 de julho.* (Foto: Kamila Ferreira)

Para reverter essa situação, o prefeito Haddad disse que cancelaria todas as multas dos motoristas que circularam entre oito e 11 de agosto nas duas vias, desde que os motoristas não tenham ultrapassado a velocidade anterior, de 60 km/h.

Todas as vias arteriais – avenidas que ligam diferentes regiões da cidade, têm semáforos e fluxo intenso de veículos – serão padronizadas, exceto o Corredor Norte-Sul, no trecho entre o Terminal Bandeira e a Avenida Bandeirantes.

rubem berta
Avenida Rubem Berta, no corredor norte-sul teve sua velocidade alterada em primeiro de setembro. (Foto: Kamila Ferreira)

Maurício Januzzi, presidente da Comissão de Estudos Viários da OAB/SP explica que a principal função da Comissão é promover estudos das diversas modalidades de mobilidade urbana como ônibus, transporte sobre trilhos, ciclofaixas/ciclovias e também estudar a legislação de trânsito.

Januzzi afirma que, antes de tomar medidas, a prefeitura deveria fazer audiências públicas entre a Câmara dos Vereadores e os diretamente envolvidos no sistema viário.

O advogado diz também que a solução para o trânsito é investir em transporte de massa.

Maurício Januzzi explica porque a OAB entrou na Justiça contra a prefeitura.

O cidadão pode saber mais sobre a comissão e também entrar em contato com o dr. Maurício Januzzi através do link: http://www.oabsp.org.br/comissoes2010/direito-viario

Agora, resta saber quanto tempo será necessário para a população se acostumar com uma São Paulo mais lenta, porém, com uma promessa de mais segurança e menos mortes.

*Procurada, a CET não respondeu aos contatos do “Hora da Notícia”.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s