Startup: o que é e por que criar uma

Novo gênero empresarial cresce cada vez mais no país, devido às suas facilidades.

Por: Kamila Ferreira

startup-notepad
Imagem: Divulgação

Startup é um segmento das empresas de pequeno porte que cada vez mais cresce em todo o mundo. Uma empresa startup tem como definição seu aporte financeiro limitado, espírito empreendedor e uma dose de incerteza, pois uma empresa desse nível surge para suprir uma necessidade até então não satisfeita por empresas já consolidadas. Elas estouraram com a “bolha da internet” – entre 1996 e 2001, quando as ações de empresas de tecnologia de informação e comunicação – as empresas “ponto com” sofreram forte alta.

Esse conceito pode englobar várias situações, porém, no mundo de hoje, ele comumente é aplicado às empresas de tecnologia, por ser mais fácil gerenciar uma plataforma na internet do que abrir uma empresa física, por exemplo.

Segundo Frederico Flores, CEO da Ecommet, startup voltada para o desenvolvimento de softwares de gestão empresarial, uma startup é “uma empresa em estágio embrionário que gira em torno de uma ideia central pouco ou ainda não validada e que busca um crescimento necessariamente escalável, ou seja, que possa ser repetível inúmeras vezes, sem custos aumentados na mesma proporção”.

Cada vez torna-se mais fácil abrir uma empresa startup. Ainda segundo Flores, para criar uma startup “basta uma boa ideia e pessoas motivadas para executá-la: não é necessário espaço físico ou dinheiro. Basta que uma ou mais pessoas se reúnam com um objetivo comum de resolver um problema através de uma solução altamente escalável, inteligente e bastante acessível.”

Ou seja, qualquer pessoa pode criar sua própria empresa startup. Porém, Yuri Gitahy, especialista em startups, em entrevista para o site da revista Exame, alerta que “é necessário entender se ela se transformará em uma micro-empresa ou uma startup. Você precisa de algo que dará um retorno dez, cem, mil ou mais vezes maior do que foi investido. Por isso, pense bem se você está empreendendo pelas razões certas e com suas expectativas alinhadas.”

Na mesma entrevista, Gitahy explica como manter sua startup dentro da lei: “Se você já obtém receita, precisa pagar impostos. Se você contrata pessoas que não são sócios, precisa de um regime formal de contratação ou de terceiros trabalhando segundo um contrato formal. Se você tem um time de sócios, ajuste bem as expectativas e defina de uma vez as responsabilidades e percentuais de cada um. Ainda não é necessário ter um contrato social registrado em cartório, mas pode ser interessante começar a esboçar um.”

Portanto, tudo o que você precisa para abrir sua startup é pensar diferente, fora do senso comum e não deixar que as dificuldades acabem com sua vontade. Assim explica Frederico Flores, ao ser perguntado sobre suas dificuldades em abrir a Ecommet: “Encontrar pessoas que estejam na mesma sinergia e motivação que você e que realmente queiram fazer a diferença sempre foi o nosso grande desafio.”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s